NÚCLEO TECNOLÓGICO MUNICIPAL

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Centro de Formação em Estudos


O Departamento de Formação Continuada da Coordenadoria de Programas e Projetos da Secretaria Municipal de Educação de Sinop, reúne seus formadores todas as sextas-feiras no período matutino, no Centro de Formação, para estudos de temas relevantes ao campo de atuação da equipe. Neste último estudo foi abordado o tema: Educação na Sociedade de Informação: O Relatório de Delors, um texto que Jacques Delors apresentou para a UNESCO na Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI, o qual debate a educação ao longo da vida baseando-se em quatro pilares: Aprender a conhecer, Aprender a fazer, Aprender a viver juntos e Aprender a ser. 

A escolha deste texto, segundo salienta Lucinéia Jonat Lourenço, Coordenadora do Departamento de Formação, objetivou-se ajudar os formadores, que até então estavam discutindo a especificidade de sua atuação, perceber a amplitude dos temas e programas com os quais trabalham na formação continuada, e ver que nada é por acaso, pois estamos no mundo numa situação complexa de relações.

Os estudos se pautaram na leitura do texto e discussão de cada ponto. A medida em que foram lendo, algumas ponderações foram feitas e entre elas, está o Aprender a Ser no meio ambiente como necessário e na sua concretização ainda há muito o que aprender, relata Jacinta Frâncio. Para trabalharmos uma reforma da educação é necessário ampliação do foco, atingindo as nossas universidades, e o que poderia ser feito é estar junto a elas, para que percebam que aqui na formação continuada há pessoas que se preocupam com a educação.  Por outro lado Nilton Matsui alerta, que nós podemos estar mais presentes nas discussões e estudos que se processam também lá dentro da s universidades.

A partir deste estudo vimos a necessidade de que o “ser” vem sendo uma grande preocupação em pleno século XXI, pois até agora percebe-se que todos têm buscado a segurança profissional e financeira, ou seja o “ter”. No entanto, em nossas discussões a educação surge como meio para tal realização, sendo ao mesmo tempo um processo individualizado e uma construção social interativa em que precisamos aprender a nos conhecer e a conviver com o outro, assim como diz o texto “a educação é antes de tudo, uma viagem interior, cujas etapas correspondem às da maturação contínua da personalidade”, ressalta Elisangela S.Santos.

Para Sandra Donato, Aprender a Conhecer, implica em adquirir os instrumentos de compreensão. O Aprender a Fazer objetiva agir sobre o meio ambiente com propriedade de conhecimento. Aprender a Viver Juntos, afim de participar e cooperar com os outros em todas as atividades humanas. Aprender a Ser, é via essencial que integra  o desenvolvimento da personalidade para estar a altura de agir com maior capacidade de autonomia, de discernimento e de responsabilidade pessoal. Os quatro pilares são base das competências da educação do futuro.

A formadora responsável pelo grupo de estudos do Meio Ambiente, conclui, pontuando que a educação necessita de uma remodificação ou reestruturação. Isto deve partir de cada um, e não somente da estrutura física, material e/ou política, pois fazemos parte desta corrente, como elo importante nas relações. O elo que modifica, que promove reflexões e possibilita a vizualização de novos horizontes.

O FAZER DEPENDE DO SER!- Conlui Sinóvia Rauber.

Neste estudo, percebeu-se que à luz do texto proposto foi realizada uma reflexão sobre a ação de formadores em suas especificidades formativas, dentro dos mais diversos campos de atuação, pois cada um no seu contexto discutia suas fundamentações baseadas nas experiências formativas nas quais atuam.

Prof. Nilton Matsui